domingo, 26 de junho de 2011

Dodô decide, Americana vence o Salgueiro e encosta nos líderes

salgueiro
Foi um jogo de apenas um gol, mas não faltou emoção. Em partida movimentada, o Americana venceu o Salgueiro por 1 a 0, no Décio Vitta, pela sétima rodada da Série B. E, mais uma vez, brilhou a estrela de Dodô. Apesar de desperdiçar inúmeras chances ao longo do jogo, em uma cobrança de falta perfeita o atacante resolveu a partida.
A vitória levou o Americana à terceira colocação na Série B, com os mesmo 14 pontos dos líderes Portuguesa e Ponte Preta, mas um saldo de gols pior. O Salgueiro, por sua vez, caiu para a 14ª colocação. Com oito pontos, o time se aproximou da zona de rebaixamento. As duas equipes voltam a jogar na terça-feira. O Americana, novamente no Décio Vitta, recebe o Barueri às 19h30m. O Salgueiro, também em casa, enfrenta a Ponte Preta, às 21h50m, no Ademir Cunha.
O primeiro tempo foi de um time só. Enquanto o Americana colecionava chances de gols, o Salgueiro encontrava dificuldades para colocar a bola no chão e sair jogando. Se a rede não balançou, o excesso de preciosismo foi o culpado. Dodô tentou por cobertura, quando poderia ter tirado do goleiro. Marcinho insistiu em um drible a mais, quando deveria ter finalizado. O goleiro Marcelo, do time pernambucano, também teve sua parcela de responsabilidade, efetuando pelo menos duas boas defesas. E assim o Americana foi para o intervalo com o zero no placar, quando poderia ter aberto uma larga vantagem.
Na volta para o segundo tempo, o técnico Neco, do Salgueiro, tentou mudar o panorama. De uma vez, sacou Fernando e Matheus e mandou a campo Cleberson e Fabrício Ceará. E as modificações surtiram efeito. O time pernambucano conseguiu equilibrar o jogo e levou perigo em uma cabeçada de Pio e um chute de Clebson.
O Americana, porém, insistia em perder gols. Dodô e, principalmente, André Luis tiveram novas oportunidades, mas pecaram na pontaria. As chances desperdiçadas irritaram o técnico Toninho Cecílio, que perdeu a paciência com André Luís e o substituiu por Reinaldo. Mas com Dodô o treinador preferiu insistir, na esperança, talvez, de um lampejo de talento. E foi exatamente o que aconteceu. Aos 26, o atacante sofreu falta na entrada da área e pediu a bola. Na cobrança, um leve toque com categoria no canto direito do goleiro Marcelo, que nem teve tempo para pular.
Fonte:globo.com


Nenhum comentário: