sexta-feira, 22 de julho de 2011

Advogado diz que obras do Estádio Cornélio de Barros ( O SALGUEIRÃO)estão caminhando a passos lentos


Tudo o que os torcedores do Salgueiro Atlético Clube queriam nesse momento era poder assistir aos jogos da equipe sertaneja na cidade de Salgueiro, sem precisar recorrer às emissoras de rádio ou se deslocar para a cidade de Paulista, na Região Metropolitana de Recife. Assim que o Carcará surpreendeu a todos em outubro de 2010 ascendendo à Série B do Campeonato Brasileiro, o governador Eduardo Campos prontamente ligou para o prefeito de Salgueiro, Marcones Libório, e se colocou à disposição para ampliar a capacidade do Estádio Cornélio de Barros (Salgueirão), estádio municipal cedido gentilmente para que o único time de futebol profissional da cidade atue durante seus jogos em casa.
Depois de diversos meses da promessa do governador pernambucano, os trabalhos só começaram em abril deste ano, bem próximo do início da competição. Morando em frente ao Estádio Salgueirão, o advogado José Allan Alencar Roza afirma categoricamente: “Nosso velho salgueirão só deverá mesmo funcionar quando já não tiver mais nenhuma graça, ou seja, daqui há uns 2 ou 3 anos, pois nem passaram dos alicerces”.
Enquanto o Governo Municipal divulga em todos os cantos, inclusive na televisão, que “Salgueiro tem o novo Salgueirão”, a realidade observada por quem mora nas imediações do estádio é completamente diferente. ”O que eu consigo ver daqui de casa (quase tudo), parece mesmo que querem construir um buraco de metrô, pois haja buraco e tiração de terra, é o dia todo caçambas e mais caçambas de barro saindo de uma imensa cratera que já virou até piscina. Quanto a falta de respeito com os moradores vizinhos, a terra que cai dos caminhões fica espalhada na rua, e quando principalmente os ônibus da empresa ‘São Jorge’ passam como sempre em alta velocidade -, pois pensam que são os donos das ruas de Salgueiro, parece mais uma tempestade de poeira dentro das casas. A nossa situação já está insuportável, as pessoas estão adoecendo por causa desse problema de tanta poeira dentro das casas, e nada se faz”, reclama José Allan em comentário enviado para o blog de Alvinho Patriota nesta quinta-feira.
O advogado, que mora na Avenida Aurora de Carvalho Roza, também protesta sobre um vazamento de água que perdura há meses em frente sua residência. “Já apelidei de fonte do descaso”. Para finalizar cobra a presença de fiscais da prefeitura no local para verificação de algumas irregularidades.
 

Por Chico Gomes do blog de alvinho patriota

Nenhum comentário: