sexta-feira, 15 de julho de 2011

Apreendido mais um carregamento de droga em Penaforte-CE!

Foto ilustrativa da ultima apreensão feita em Penaforte-CE

Um operação conjunta de policiais da Coordenadoria de Inteligência da Secretaria da Segurança Pública (Coin) e da Delegacia de Narcóticos (Denarc) resultou na apreensão de um novo carregamento de maconha prensada que seria vendido no território cearense através da Região do Cariri (Sul do Estado). Mais de 600 quilos de maconha eram transportados em um caminhão que foi interceptado na divisa com Pernambuco.

A informação foi revelada, no fim da noite passada ao Diário do Nordeste, pela Assessoria de Imprensa da SSPDS. O veículo vinha sendo monitorado pelos agentes da Inteligência e pelos inspetores da Denarc, sob o comando do delegado Pedro Viana. Quando entrou no Município de Penaforte (a 544Km de Fortaleza) foi interceptado.

Até por volta da meia-noite, a Polícia não tinha ainda conseguido pesar toda a droga que era transportada no veículo, mas, segundo estimativas dos próprios agentes da Coin e da Denarc, pode superar a apreensão feita no mês passado na mesma região, quando um caminhão que procedia da cidade de Guarulhos, no Interior paulista, com um carregamento de aproximadamente 600 quilos de maconha paraguaia, foi interceptado no mesmo local.

A droga localizada ontem à noite foi levada para a Delegacia Regional da Polícia Civil de Brejo Santo (a 500Km da Capital), onde os acusados do crime seriam autuados em flagrante.

Fechamento
As apreensões de drogas na divisa do Ceará com Pernambuco têm crescido nas últimas semanas em decorrência de uma operação de fechamento de divisas determinada pelo secretário da Segurança Pública, coronel PM Francisco José Bezerra.

A parceria das autoridades da Segurança do Ceará com as polícias dos demais Estados nordestinos está sendo firmada. Desde o começo desta semana, Bezerra tem mantido encontros com os secretários da Segurança de Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Piauí.

Além do tráfico de substâncias entorpecentes, as operações visam combater outros delitos graves, mais comuns nas áreas de divisas interestaduais, como o tráfico de seres humanos para fins de prostituição, roubo de cargas, comércio ilegal de armas e de animais. 

Fonte: Diario do Nordeste
FERNANDO RIBEIRO

EDITOR DE POLÍCIA

Nenhum comentário: