sábado, 29 de outubro de 2011

FUGITIVO DO CEARÁ, JUNIOR POPÔ , É PRESO COM COMPARSAS EM JUAZEIRO-BA


Conforme anunciamos em primeira mão a noticia da prisão de Junior Popô:
Em ação conjunta das policias civil de Juazeiro e do Ceará quatro homens foram presos na tarde de hoje (28), entre eles o fugitivo cearense José Junior Cândido, vulgo Junior Popô, acusado de tráfico e TCO (Termo Circunstanciado) e confesso de homicídio praticado em 2009 contra o irmão de um vereador da cidade de PenaForte-CE . Popô assumiu outros crimes e afirmou ter fugido da prisão em Barbalha-CE, onde ficou preso durante 10 meses e 20 dias, porque temia ser morto, já que é acusado de outros crimes, entre eles de praticar ameaças ao atual prefeito de PenaForte e a um Major da Polícia Militar. O delituoso também assumiu que estava em Juazeiro há oito dias e recebeu a cobertura de outros três homens, também acusados de tráfico de drogas, falsidade ideológica e estelionato, residentes do bairro João Paulo II. Dois deles: Edilson José da Silva e Wallace Barbosa da Silva, de 21 anos, são pai e filho, respectivamente, e mantinham uma marcenaria de fachada, no bairro, onde foram encontrados uma pistola 9 mm, de uso restrito, R$ 2.265,00, 280 gramas de cocaína, 42 munições, 2 telefones celulares, 3,5 kg de maconha e pedras de crack. Junto com o quarto acusado: Valdemicio Fernandes de Andrade foram encontrados documentos falsos, como Carteiras de Identidade, Carteiras de Trabalho, Carteiras de Motorista (CNH) e CPF. Duas motos também foram aprendidas com os acusados.
Popô já vinha sendo monitorado pela polícia e aguardava julgamento pelos crimes cometidos, já os outros acusados negaram qualquer envolvimento com ele, e não confirmaram a posse do material apreendido. Um forte reforço policial do Ceará veio até Juazeiro para prender o acusado, sob o comando do delegado de polícia, Julio Agrele, que também recambiará Popô com um forte esquema de segurança.
Os outros três acusados serão encaminhados para o Conjunto Penal de Juazeiro, aguardando decisão judicial.

Por Mônia Ramos  
Blog quersaberpolitica.com.br

Nenhum comentário: