segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Pernambuco ganha banco de tecidos para atender todo o Norte-Nordeste

Será inaugurado nesta segunda-feira (19), no Recife, o primeiro banco de tecidos do Norte-Nordeste, que vai funcionar dentro do Instituto Materno Infantil de Pernambuco (Imip), no Recife. "Quando você tem um transplante de um órgão maciço, como fígado ou rim, por exemplo, essa cirurgia tem que ser imediata, logo após a doação. No caso de pele, córnea, ou tecido músculo-esquelético, eles podem ser armazenados, mantidos como se fossem uma reserva, num banco multitecidos, para serem utilizados conforme a demanda", explica o médico Geraldo Furtado, diretor do Imip.
Chamado banco multitecidos, a nova unidade de saúde vai armazenar, por exemplo, pele, que dá uma oportunidade de recuperação para vítimas de queimaduras. "O melhor curativo para um grande queimado é a pele humana. Através do banco multitecidos, você manda um segmento dessa pele e com ele é feito um curativo, que acelera e muito a recuperação da área queimada", afirma o gestor.
Tecido ocular humano – a córnea, talvez o transplante mais feito em todo o mundo – e também tecico músculo-esquelético são outros itens que o novo banco vai armazenar. "Pacientes que tiveram uma lesão, um trauma, ou quem teve um tumor ósseo que precisou ser operado, e vai precisar de um enxerto, poderão utilizar os ossos e tendões armazenados, a partir de material doado", complementa Furtado.
A cerimônia de inauguração acontece às 17h e a captação começa na terça-feira (20). "Nós trabalhamos conjuntamente com a Central de Transplantes, então, da mesma maneira que fazemos as campanhas de doação de órgãos, vamos também fazer a campanha para incentivar a doação de tecidos. Cerca de 10 mil a 15 mil pessoas, anualmente, precisam de doação de pele. Essa é uma maneira de acelerar a concretização dessas cirurgias para esses pacientes", informa.
Geraldo Furtado ressalta ainda a importância da conscientização das famílias sobre a doação desses outros tecidos. "No momento da captação de um rim, é possível fazer, também, a captação desses tecidos e sobretudo, explicar que o doador não terá nenhuma mutilação do seu corpo, o cadáver será entregue sem nenhuma mutilação ou deformidade", assegura o gestor.

Fonte: G1 PE

Nenhum comentário: