sábado, 24 de março de 2012

'Ele deixa um buraco', lamenta Renato Aragão


"Ele deixa um buraco, mas esse buraco é sua história, que marcou a todos". É dessa forma que o comediante Renato Aragão revela seu sentimento ante o falecimento de Chico Anysio, seu conterrâneo.
Em entrevista ao Diário do Nordeste Online, Renato relembrou do quanto admirava o artista, que já era consagrado nacionalmente. "Lembro que quando trabalhava na TV Ceará, ele já fazia muito sucesso no rádio. Ele era o número 1 do rádio", enfatiza.
Na época, Renato também era bancário e lembra de ter encontrado Chico algumas vezes, o qual já tratava "Didi" como um ídolo. "Ele sempre me dizia que para fazer humor no Rio era preciso ter muita agilidade", relembra.
Renato recorda ainda que, mesmo depois da projeção nacional de ambos, aconteciam alguns reencontros ocasionais. "A gente se encontrava e ficava falando do Ceará, com saudade da nossa infância".
Para o humorista, é impossível tentar explicar a representatividade de Chico para o humor. "Eu levaria anos se fosse tentar definir o Chico. Ele era uma instituição. Foi comediante, compositor, ator, um multitalento e deixa um legado para todos nós. Estamos todos nos sentindo órfãos", lamenta.
E a herança que o eterno professor Raimundo (dentre outras centenas de personagens) deixa para o Ceará também é destacada por Renato Aragão. "O Chico deixa um legado não só para o Ceará, mas para o Nordeste e para o Brasil".

Fonte: Diário do Nordeste

Nenhum comentário: