quarta-feira, 21 de março de 2012

Motoristas tentam fechar CE-359

Ibaretama Pouco mais de três dezenas de proprietários e motoristas de lotações, como são conhecidos veículos particulares, na maioria de passeio, utilizados no "taxiamento" de passageiros entre as cidades do Interior do Ceará tentaram interditar a CE-359, nas proximidades da área urbana de Ibaretama. O bloqueio seria em protesto contra o que chamam de "perseguição" do Departamento Estadual de Transito (Detran) e da Polícia Rodoviária Estadual (PRE) contra esse tipo de transporte na região, conforme justificaram alguns manifestantes.

Entretanto, a tentativa de interditar a rodovia foi frustrada. Equipes da PRE e o próprio comandante do 11º Batalhão Policial Militar de Quixadá, coronel Antônio Paiva, com parte de sua tropa, chegaram rápido ao local desobstruindo a CE. Pneus já estavam incendiando quando a manifestação foi debelada.

Alguns reclamaram de alguns militares. Policiais do patrulhamento da cidade e da Força Tática de Apoio (FTA) permaneceram no local até os manifestantes se retirarem.

Proprietário de um dos veículos a circularem de Ibaretama a Quixadá transportando passageiros, o motorista Elídio Martins, criticou a postura adotada pelo Detran. Segundo ele, na quarta-feira passada, dia 14, seu Escort acabou capotando a alguns quilômetros dali, quando era perseguido pelos fiscais do órgão estadual de trânsito. Estava transportando passageiros e por pouco o acidente não se transformou numa tragédia. Fugia com medo de ter seu carro apreendido.

Multa
Quem também reclama é o taxista Francineudo Ferreira. Embora o seu veículo tenha placa vermelha, com inscrição de Quixadá, sempre leva multa quando os passageiros querem ir um pouco mais além, para alguma cidade vizinha. Ibaretama é uma delas.

Outra queixa dele é alusiva ao valor das multas aplicadas. Chegam a mais de R$ 900,00, quando o Código de Trânsito estabelece o valor pouco superior a R$ 80,00 pela infração de transporte irregular de passageiros.

Passageira diária das lotações, Luiza Aguar Rabelo defende o uso desse tipo de veículo. Para ela, apesar de existirem ônibus e vans com mais frequência, mesmo assim há demora para passar um desses tipos de coletivo pela estrada.

Além da perda de tempo, geralmente estão lotados. Nos veículos pequenos, os automóveis, como só cabem cinco passageiros, sempre viaja sentada. Outro aspecto observado pela usuária, além do preço, é a vantagem de parar na porta de casa.

Ninguém assumiu a liderança da manifestação, por temerem represálias.

Contatos telefônicos com mensagens através de e-mail forma mantidos com o Detran, mas até o encerramento desta edição o órgão estadual não havia se pronunciado sobre a situação.

ALEX PIMENTELCOLABORADOR 



Diário do Nordeste

Nenhum comentário: