sexta-feira, 23 de março de 2012

Oposição vistoria obras da Transposição no Ceará


Uma comissão de deputados da oposição fará uma visita a um dos trechos das obras de transposição do rio São Francisco no município de Mauriti nesta sexta-feira, 23. A comitiva, organizada pelo deputado federal Raimundo Gomes de Matos, partirá de Juazeiro do Norte, às 9h, com previsão de chegada ao local às 10h.
 
A visita é a primeira que a oposição fará para fiscalizar obras e ações do governo. O líder do PPS na Câmara, deputado Rubens Bueno (PR), confirmou presença na comitiva. Ele diz que será uma boa oportunidade para avaliar como está o andamento da obra de transposição e desmascar "a propaganda ilusória, paga com dinheiro público, que o governo do PT despeja na cabeça dos brasileiros".
 
Ele lembra que o projeto, que custaria inicialmente R$ 4,6 bilhões, não sairá por menos de R$ 8,18 bilhões aos cofres públicos, segundo levantamento feito pelo jornal Folha de S. Paulo que teve como base o balanço do PAC 2 (Programa de Aceleração do Crescimento, segunda etapa). O deputado Simplício Araújo (PPS-MA) também acompanhará a vistoria.
 
De acordo com o líder do PSDB na Câmara, Bruno Araújo (PE), o objetivo é percorrer o país. "Enquanto o governo faz propaganda do que lhe convém, cabe à oposição fiscalizar o andamento das ações e projetos que interessam ao país", disse.
 
O trecho a ser visitado integra o eixo Norte do projeto de transposição - Mauriti sedia o canteiro de obras dos lotes 6 e 7 (44 km de canal). No local, o aterro e as escavações foram feitas, mas o canal está tomado pelo mato e ameaçado pela erosão - os moradores confirmam que a obra foi abandonada há meses e sofrem os prejuízos desta situação. Muitos tiveram de abrir mão de plantações de caju porque suas propriedades ficavam no traçado do canal e atualmente não possuem qualquer fonte de renda.
 
A aproximadamente 100 km de Mauriti, já no lote 14, em São José das Piranhas, está sendo  construído um túnel de  13 km, batizado Cuncas I e objeto da última visita do ex-presidente Lula ainda no cargo. Este túnel sofreu um desabamento parcial em abril de 2011, quando o Governo defendeu que nenhum operário da obra teria se ferido. Contrariando essa afirmativa, os mesmos moradores, parte deles ex-operários demitidos após a paralisação da obra, testemunham que alguns trabalhadores ficaram feridos e impedidos de trabalhar por um longo período.

Fonte: Cnews

Nenhum comentário: