domingo, 8 de abril de 2012

Dia de celebração para cristãos e judeus



A chegada da Páscoa fez com que a reflexão diária do empresário Alexandre de Carvalho, 25, se intensificasse. Integrante da Igreja Batista do Calvário, na Cidade dos Funcionários, ele aproveitou o feriado para se retirar em família. “Se acreditamos que Cristo morreu e ressuscitou, então a gente tem que acreditar que isso aconteceu por um motivo, no caso, seria pela nossa salvação”, diz. 

O pároco da Catedral, Claírton Alexandrino, explica que a Páscoa é a festa central dos cristãos. “Nela nós comemoramos o mistério que transcende toda a inteligência humana – o Deus que se fez homem mortal para poder salvar o homem, através de sua morte e ressurreição”, conta. De acordo com ele, a principal mensagem desse período é que as pessoas devem acolher Jesus Cristo e segui-lo como referência máxima de suas vidas. “A Páscoa é vista agora como uma ocasião de mercado”, lamenta.

O pastor da Igreja Batista Manancial, Humberto Medeiros, esclarece que, tanto para judeus, como para cristãos, a palavra Páscoa significa ‘passagem’. “Para os judeus é a celebração da saída do povo da escravidão do Egito. Para os cristãos é a comemoração da libertação da escravidão do pecado promovida por Jesus Cristo”, pontua. Ainda segundo ele, quanto à essência, não há diferença entre a Páscoa celebrada entre protestantes e católicos. Só o que muda é a forma.

O líder da Congregação Israelita da Nova Aliança, Rosh José Ribamar, explica que a palavra judaica para Páscoa é ‘Pessach’. “O nome Pessach é o mais usado e popular de todos os outros nomes: Festa da Liberdade, (Herut) e Festa da Primavera (Aviv).

A festa começa no dia 15 de Nissan e se prolonga por oito dias”, explica. Ainda segundo ele, o primeiro e o último dias são feriados. Para comemorar a Páscoa, celebra-se um jantar onde a libertação do Egito é rememorada. 

Já para os espíritas, a Páscoa representa um dos momentos mais importantes de Jesus na Terra. Segundo o secretário geral da Federação Espírita do Ceará, Sérgio Pontes, é a prova de que o espírito é imortal e que a vida continua depois da morte física. “Os cristãos educados sob a orientação da Igreja Católica e, depois da Reforma, os protestantes e demais escolas cristãs, acreditam no surgimento de Jesus do túmulo usando um corpo físico (ressurreição)”.

Na visão espírita, o fenômeno do aparecimento do Cristo, primeiro à Maria Madalena e, depois, aos seus discípulos, não se deu com o seu corpo físico, dilacerado na crucificação, mas sim em um corpo sutil, que denominamos perispírito.

O quê

ENTENDA A NOTÍCIA

Para os cristãos, a Páscoa é o momento de celebrar a ressurreição de Jesus Cristo. Independentemente do credo, muita gente celebra a data. 

Opovo online

Nenhum comentário: